A Fita Vermelha

Menu Principal

Eventos & Cursos


Menu Principal

Assinatura


Torne-se membro

Descubra mais sabedoria e práticas para elevar a si mesmo, a sua vida e as pessoas ao seu redor. De artigos e vídeos semanais a aulas e eventos com transmissão ao vivo e presencialmente, há um plano de assinatura para todos.

Veja planos de assinatura
Assinatura em Destaque:
Comunidade
  • Benefícios inclusos:
  • Participe de webinars interativos toda semana
  • Assista a cursos completos on demand
  • Aproveite descontos em eventos, orientação em serviços individuais e produtos*
  • E muito mais...
  • Junte-se Hoje
  • *Nas localidades participantes. Haverá restrições aplicadas.
Menu Principal

Orientação


Vá ainda mais fundo na sabedoria da Kabbalah com orientação personalizada e leituras de mapas.
Encontro gratuito com um professor

Nossos instrutores dedicados estão aqui para ajudá-lo a navegar em sua jornada espiritual.

Solicite o Seu
Leitura de Mapa Astral Kabalístico

Aprender sobre nossa alma por meio de um mapa astrológico ajuda a dar mais significado e maior compreensão às experiências que enfrentamos, às pessoas que conhecemos, ao trabalho que fazemos e às bifurcações da estrada.

Agende uma leitura de mapa
Orientação Pessoal - Serviços do Kabbalah Centre

Sessões personalizadas individuais com um instrutor para aprofundar em uma área que lhe interessa ou oferecer suporte onde você mais precisa. As reuniões abrangem desde relacionamentos, tikkun e estudo profundo do Zohar, todas personalizados especialmente para você.

Reserve uma Sessão de Orientação

A Fita Vermelha

Kabbalah Centre
Novembro 24, 2020
Curtir 36 Comentários 6 Compartilhar

Para entender o propósito, a necessidade e o poder da Fita Vermelha, você deve primeiro entender a força conhecida como "Mau-Olhado". Os kabalistas se referem a ela como ayin horeh. Na Itália, chama-se de malocchio. Os árabes pronunciam-no ayin harsha. Os escoceses o conhecem como droch shuil; os romanos o apelidaram de oculus malus. Qualquer que seja o nome que você escolher, o conceito do Mau-Olhado remonta a milhares de anos. O mau-olhado é mencionado na Bíblia e é um fenômeno reconhecido por muçulmanos, judeus e cristãos. Os gigantes da filosofia grega - Sócrates, Platão e Aristóteles - falavam dele também. Moisés escreveu sobre isso. Reis, rainhas e presidentes criaram estratégias para proteger suas nações contra isso. Na verdade, a maquiagem dos olhos se originou na Índia como uma ferramenta para proteger as pessoas do fluxo visual negativo causado pelo mau-olhado.

Os kabalistas ensinam que os olhos são a janela da alma; de todos os orifícios do corpo, os olhos contêm a conexão mais direta com a nossa essência pura e divina. Portanto, os olhos são o portal através do qual podemos criar e extrair a maior Luz ou a maior escuridão. É nossa escolha. Existem muitas camadas e nuances na consciência do Mau-Olhado; ele não é personificado por nenhum pensamento ou sentimento. A forma mais extrema de mau-olhado é o ódio, que geralmente é caracterizado pelo abandono total da dignidade humana. Quando uma pessoa olha para outro ser humano com ódio em seu coração, ela é atormentada pelo mau-olhado, e independentemente de seu ódio ser expresso em palavras ou ações, essa força do mau-olhado ainda tem o poder de penetrar o escudo espiritual da pessoa por quem ela tem maus desejos.

O mau-olhado se manifesta em uma variedade de outras formas que podem parecer menos extremas do que o ódio, mas na verdade, ainda carregam o poder de influenciar o bem-estar espiritual e físico de outro ser humano. Quando a maioria de nós ouve o termo Mau-Olhado, o reconhecemos como um codinome para inveja — aquilo que acende sentimentos de raiva e ressentimento em tantas pessoas quando são confrontadas com o sucesso ou boa sorte de outra pessoa. A fala negativa, especialmente a fofoca, também faz parte da consciência do Mau- Olhado, já que as pessoas tendem a falar mal dos outros quando estão com inveja.

O primeiro exemplo de Mau-Olhado na Torá ocorre em Gênesis, elaborando mais sobre as sutilezas do Mau-Olhado. O Zohar explica que a morte aconteceu porque a cobra tinha inveja de Adão e ciúme do fato de que ele não poderia tomar Eva como sua esposa; lembre-se, que esta era uma cobra que não só podia rastejar, mas também podia se levantar e falar. O Zohar prossegue dizendo que o Mau-Olhado nem sempre significa que desejamos explicitamente o mal a alguém; também se refere às maneiras como julgamos e avaliamos o que os outros têm em relação a nós mesmos. Quando alimentamos o sistema de crença de que alguma forma de carência que experimentamos pode e deve ser satisfeita por ter o que outra pessoa tem, o ego assumiu completamente o controle de nossa consciência e estamos em um estado de Mau-Olhado. É aparentemente tão discreto que leva muito tempo até mesmo para desenvolver a avidez de estar ciente disso. A verdade é que, quando algo não chega até nós exatamente quando o desejamos, normalmente é uma indicação de que ainda não criamos o recipiente para recebê-lo, o que significa que não refinamos nosso desejo para que ele seja mais baseado em compartilhar do que puramente receber. Não receber algo também pode ser um sinal de que há algo ainda melhor que o Criador pretende nos dar ou que o momento do Criador é simplesmente diferente do nosso, e precisamos exercitar mais a paciência e confiança. Uma certeza nessas coisas – de que tudo é como deve ser e de que o que precisamos chegará a nós no momento perfeito – pode nos ajudar a garantir que jamais caiamos na consciência do Mau-Olhado.

O Mau-Olhado é uma consciência à qual todos somos vulneráveis ​​e podemos cair nela tanto consciente quanto subconscientemente. Independentemente de como ou por que podemos nos encontrar neste estado de espírito, é fundamental compreender o perigo e o poder desta força, pois ela realmente não pode ser subestimada. De acordo com o Zohar, a maioria das doenças e infortúnios comuns são atribuídos ao Mau-Olhado, visto que "toda pessoa que tem mau-olhado, tem em si o olho do Anjo da Destruição, que é chamado de 'destruidor do mundo'…” (Zohar; Noach v.197). Da próxima vez que se surpreender olhando para outra pessoa, começando a nutrir pensamentos negativos, você pode se perguntar: quero ser um destruidor ou um criador? A cada momento que você é capaz de resistir ao impulso de ceder a pensamentos de ódio, inveja ou julgamento para com os outros e, em vez disso, escolhe pensamentos de amor, gratidão e misericórdia, você cria novos canais de Luz para você e para o mundo.

"Veja o bem em todas as coisas para que possamos experimentar o Criador em todas as coisas." - Karen Berg

Outro aspecto importante do Mau-Olhado que os kabalistas nos encorajam a considerar é que tudo o que experimentamos em nosso mundo externo é um espelho de nosso mundo interno. Qualquer Mau-Olhado que sentimos ter recebido é um espelho do Mau-Olhado que projetamos nos outros. O maior antídoto para a força do Mau-Olhado é o esforço consciente e consistente de ver o mundo com um olhar amável. O oposto do Mau-Olhado é a capacidade de olhar para tudo e todos com o desejo de encontrar a Luz interior, de revelar a bondade inerente e de ver a centelha de Deus que existe em toda a humanidade. Quando você se concentra no que há de bom em outra pessoa ou coisa, você se capacita a experimentar o bem. Portanto, como você continuará a descobrir, a Fita Vermelha não é simplesmente uma ferramenta para proteção contra o Mau-Olhado, é também um lembrete para nós, um exame de consciência, para transformar qualquer julgamento em misericórdia.

TÉCNICAS DA FITA VERMELHA E "COMO USÁ-LA"

De onde vem o conceito de Fita Vermelha?

A fita vermelha é mencionada algumas vezes como uma ferramenta-chave na Torah — por exemplo, quando Jacó colocou Fitas Vermelhas em seus filhos. Além disso, no livro de Josué (capítulo 2: 18,21), Caleb e Pinchas espiam a terra de Israel pela última vez e chegam à casa de Raabe. Como forma de agradecimento, Caleb e Pinchas dizem a Raabe que ela deve amarrar uma Fita Vermelha no parapeito da janela e quando os Israelitas conquistarem a terra, eles passarão por aquela casa, e sua família será salva. A intenção dos kabalistas é decodificar e fazer uso de todas e quaisquer ferramentas prescritas na Torah, sejam ferramentas que fomos orientados a usar explícita ou implicitamente.

Como a Fita Vermelha é feita?

O procedimento para impregnar a fita vermelha com consciência, conforme desenvolvido pelos sábios da Kabbalah, começa em Israel com o enrolamento da Fita Vermelha ao redor do túmulo de Raquel, uma das matriarcas da Bíblia. Como resultado de seu trabalho espiritual e evolução ao longo de sua vida, Raquel é agora considerada pelos kabalistas como a mãe do mundo, a principal fonte de cuidado e proteção para todas as almas. O túmulo de Raquel é circundado enquanto se recita a oração do Ana Beko’ach, que está impregnada com a energia original da criação, permitindo-nos ser co-criadores em manifestação a proteção que buscamos.

Raquel, esposa de Jacó, deu à luz depois de muitos anos estéreis a dois filhos, José e, mais tarde, Benjamin. Durante o nascimento de Benjamin, Raquel faleceu e foi sepultada na beira da estrada entre Jerusalém e Belém, na Terra de Israel. O Zohar explica que Raquel está enterrada sozinha porque, quando alguém está sozinho, pode realmente sentir as outras pessoas. Quando você está na companhia de outras pessoas o tempo todo, como pode se conectar profundamente com qualquer outra pessoa? Aqueles que estão enterrados à beira da estrada, em local exposto, permitem que outras pessoas façam contato e busquem ajuda. Também está escrito que Raquel está “. . . chorando por seus filhos. . . ”(Jeremias 31:14) — pois ela é nosso canal de cuidado e preocupação. Somos todos filhos de Raquel e, quando sofremos, ela chora por cada um de nós. Agora é fácil entender porque enrolamos a Fita Vermelha — que traz proteção contra energia negativa — na tumba de Raquel e em nenhum outro lugar. O amor protetor natural de uma mãe é talvez o poder mais poderoso de toda a existência. Somente Raquel, com amor e carinho verdadeiro e infinito, tem o poder de transmitir a todos nós proteção total contra o Mau-Olhado e a influência das energias negativas.

Por que vermelha?

Vermelho é uma cor frequentemente mencionada na Bíblia, geralmente usada com conotação de proteção contra as forças da morte e destruição. O vermelho é uma cor significativa por vários motivos. Ela possui a frequência mais baixa no espectro de cores, significando o nível mais baixo de luz ou extrema negatividade. Você provavelmente está se perguntando, por que você usaria a cor mais negativa e a frequência mais baixa de energia espiritual para se proteger das forças da negatividade?

Pense em uma vacina contra a poliomielite ou contra a coqueluche ou qualquer outra doença temida. Quando você recebe uma inoculação contra uma doença específica, uma cepa enfraquecida da doença real é integrada à vacina. As imunizações espirituais funcionam da mesma maneira. A cor vermelha injetada no fio de lã é uma linha diluída de energia negativa. Assim, ela vacina você das forças negativas destrutivas do Mau-Olhado.

Por que lã?

De acordo com a Kabbalah, duas forças opostas de misericórdia e julgamento permeiam o mundo. No Zohar, o texto kabalístico mais antigo, a raiz energética de cada forma de matéria no reino material é descrita, categorizando todo o mundo físico. A fita vermelha é feita de lã, que possui a energia da misericórdia ou energia protetora. Ao tingir a lã branca (misericórdia) com uma cor vermelha (julgamento), você cria fisicamente o circuito que converte julgamento em misericórdia ou negatividade em Luz. A cor vermelha também é usada para atrair e impedir todas as forças de julgamento que fluem do Mau-Olhado, prendendo-as à fita física, de forma que essas forças não possam penetrar em seu corpo físico ou aura metafísica. Quando a fita de lã branca transformada converte o julgamento em misericórdia, ela cria um campo de força de proteção para você.

Por que a Fita Vermelha é usada no pulso esquerdo?

Tudo no mundo está enraizado em energia positiva ou negativa, julgamento ou misericórdia, receber ou compartilhar. De acordo com os sábios da Kabbalah, cada parte do corpo físico é um portal para um tipo específico de energia. O braço e a mão esquerdos pertencem ao conceito de receber, enquanto o braço e a mão direitos incorporam a força de compartilhar. Consequentemente, as forças negativas entram no sistema do seu corpo pelo lado esquerdo. Ao usar a fita vermelha no pulso esquerdo, você intercepta, desarma e converte quaisquer forças negativas bem no portão da frente, seu ponto preciso de entrada.

Do ponto de vista kabalístico, a esquerda também representa o Desejo de Receber, e a consciência do Mau-Olhado está enraizada especificamente no Desejo de Receber apenas para Si Mesmo. Portanto, colocamos a fita no pulso esquerdo para que sempre que olharmos e desejarmos algo ou alguém, a fita vermelha funcione como um lembrete para restringirmos nosso Desejo de Receber para Si Mesmo, convertendo-o em Desejo de Receber para Compartilhar. Na prática, como é isso? Em vez de ver algo que outra pessoa tem e focar em nossa própria falta, o que normalmente gera inveja, a Fita Vermelha pode nos ajudar a simplesmente identificar desejos com os quais antes não estávamos em contato e nos ajudar a perseguir conscientemente esses desejos com a intenção de compartilhar qualquer coisa que recebermos.

Quem deve amarrar a Fita Vermelha em você? Você pode amarrá-la sozinho?

É aconselhável pedir a alguém em quem você confie, respeite e, idealmente, ame para amarrar a Fita Vermelha para você. Certamente, você pode amarrar a fita vermelha sozinho; é simplesmente preferível que a fita seja amarrada por alguém que o ame, pois isso injeta no processo a energia do cuidado amoroso, espelhando assim a função da própria fita.

Por que a Fita Vermelha cai?

A Fita Vermelha fez seu trabalho se cair com o tempo, e não há motivo para pânico. Recomenda-se amarrar uma nova Fita Vermelha o mais rápido possível, quando isso acontecer.

Como você amarra a Fita Vermelha?

A Fita Vermelha é amarrada em uma sequência cuidadosamente prescrita de sete nós, significando tanto a luz branca (misericórdia), que contém as sete cores do arco-íris e os sete mundos espirituais. Ao dar sete nós, você está se conectando com a energia da totalidade, unidade e completude, conectando-se com o espectro completo da energia da Luz do Criador.

Oração Ben Porat (dita antes de amarrar a fita)

"A Fita Vermelha existe para nos lembrar da importância do que você pensa e diz sobre os outros; em estar atento ao seu julgamento e seus efeitos profundos".- Karen Berg

Antes de colocar a fita, é recomendável fechar os olhos e meditar para definir suas intenções ao usar esta ferramenta. Você pode pedir ao Criador, a Deus, ao Universo, qualquer que seja a forma como você se dirige à força vital divina, para lhe dar a força e a consciência para sempre irradiar compaixão, bondade e perdão para todos a quem encontrar, e para sempre sentir um profundo senso de apreciação por tudo que você tem em sua vida, agora mesmo, de forma a nunca lançar um olhar de inveja em direção a outro ser humano.

בֵּן ben פֹּרָת porat יוֹסֵף yosef בֵּן ben פֹּרָת porat עֲלֵי alei עָיִן ayin בָּנוֹת banot צָעֲדָה tza’ada עֲלֵי alei שׁוּר shur:
הַמַּלְאָךְ hamalach הַגֹּאֵל hago’el אֹתִי oti מִכָּל mikol רָעra יְבָרֵךְ yevarech אֶת et הַנְּעָרִים hane’arim וְיִקָּרֵא veyikare בָהֶם vahem שְׁמִי shmi וְשֵׁם veshem אֲבֹתַי avotai אַבְרָהָם avraham וְיִצְחָק veyitzchak וְיִדְגּוּ veyidgu לָרֹב larov בְּקֶרֶב bekerev הָאָרֶץ ha’aretz ׃
אָמֵן amen

"José é um ramo frutífero, um ramo frutífero junto a um poço (ayin, lit. olho); cujos galhos correm sobre a parede.” (Gênesis 49:22) “O Anjo que me redimiu de todo mal - Abençoe os rapazes. Neles que meu nome seja lembrado, E os nomes de meus pais Abraão e Isaque, E que eles sejam multidões abundantes sobre a terra." (Gênesis 48:16)

A razão pela qual dizemos esses dois versículos é porque eles se relacionam à proteção contra o Mau-Olhado, como encontramos em muitos lugares no Talmude.

Tractate Bava Metzia 84a

Os Rabinos disseram ao Ravi Yoḥanan: O Mestre não está preocupado em ser prejudicado pelo mau-olhado ao se expor dessa maneira? Rav Yoḥanan disse-lhes: Venho da descendência de José, sobre quem o mau-olhado não tem domínio, como está escrito: “José é uma videira frutífera, uma videira frutífera junto a uma fonte [alei ayin]” (Gênesis 49:22); e Ravi Abbahu diz: Não leia o versículo como se estivesse dizendo: “Junto a uma fonte [alei ayin]”; em vez disso, leia-o como: Aqueles que se erguem acima do mau-olhado [olei ayin]. Os descendentes de José não são suscetíveis à influência do mau-olhado.

Tractate Bava Batra 118b

Rav Yosei, filho do Rav Ḥanina, disse que uma prova para a noção de que o mau-olhado não tem influência sobre José e seus descendentes, é daqui, a bênção de Jacó dos filhos de José, Efraim e Manassés: “O anjo que me redimiu de todo mal, abençoe os rapazes; e deixe meu nome ser nomeado neles, e o nome de meus pais, Abraão e Isaque; e que cresçam em multidão [veyidgu] no meio da terra”(Gênesis 48:16). Veyidgu está relacionado etimologicamente à palavra para peixe [dag]. Assim como em relação aos peixes no mar, a água os cobre e o mau-olhado não tem domínio sobre eles, assim também, a semente de José, o mau-olhado não tem domínio sobre eles.

Oração Ana Beko’ach (dita enquanto se amarra a fita)

A pessoa que amarra a fita repete cada linha do Ana Beko’ach (começando com a primeira linha) para cada um dos sete nós amarrados. Isso não é obrigatório; entretanto, é uma ferramenta usada para alavancar o poder da Fita Vermelha.


Comentários 6