A Motivação dos Espiões

Menu Principal

Eventos & Cursos


Menu Principal

Assinatura


Torne-se membro

Descubra mais sabedoria e práticas para elevar a si mesmo, a sua vida e as pessoas ao seu redor. De artigos e vídeos semanais a aulas e eventos com transmissão ao vivo e presencialmente, há um plano de assinatura para todos.

Veja planos de assinatura
Assinatura em Destaque:
Comunidade
  • Benefícios inclusos:
  • Participe de webinars interativos toda semana
  • Assista a cursos completos on demand
  • Aproveite descontos em eventos, orientação em serviços individuais e produtos*
  • E muito mais...
  • Junte-se Hoje
  • *Nas localidades participantes. Haverá restrições aplicadas.
Menu Principal

Orientação


Vá ainda mais fundo na sabedoria da Kabbalah com orientação personalizada e leituras de mapas.
Encontro gratuito com um professor

Nossos instrutores dedicados estão aqui para ajudá-lo a navegar em sua jornada espiritual.

Solicite o Seu
Leitura de Mapa Astral Kabalístico

Aprender sobre nossa alma por meio de um mapa astrológico ajuda a dar mais significado e maior compreensão às experiências que enfrentamos, às pessoas que conhecemos, ao trabalho que fazemos e às bifurcações da estrada.

Agende uma leitura de mapa
Orientação Pessoal - Serviços do Kabbalah Centre

Sessões personalizadas individuais com um instrutor para aprofundar em uma área que lhe interessa ou oferecer suporte onde você mais precisa. As reuniões abrangem desde relacionamentos, tikkun e estudo profundo do Zohar, todas personalizados especialmente para você.

Reserve uma Sessão de Orientação

A Motivação dos Espiões

Michael Berg
Junho 2, 2021
Curtir 33 Compartilhar Comentários 6

No início da porção Shlach Lecha, Moisés envia, “pela boca do Criador”, os doze espiões a Israel. Rashi, o grande kabalista e comentarista, disse que esses espiões, especialmente os dez que caíram, eram homens de peso. Na época em que foram escolhidos para ir, eles eram pessoas espiritualmente importantes e elevadas. Eles estavam em um estado espiritual perfeito.

Então, é dito que os espiões foram e voltaram até Moisés e Aarão. Rashi pergunta por que, juntos, eles foram e voltaram. A resposta, ele nos diz, é para deixar claro que consciência deles ao ir era a mesma consciência ao voltar. Como sabemos, a consciência deles ao retornar era negativa; portanto, Rashi está dizendo que eles também entraram em Israel com negatividade.

É confuso, entretanto, porque Rashi diz a respeito deles que estavam em um estado espiritual perfeito quando foram enviados. Mas, ele também está dizendo que quando eles estavam indo, sua consciência já era negativa. Então, qual seria a consciência deles? Uma pessoa não pode ter uma consciência perfeita e uma consciência negativa ao mesmo tempo. Por que Rashi parece dizer que, naquele mesmo momento, eles estavam entrando tanto com uma consciência perfeita quanto com uma consciência negativa? O grande kabalista, o Maharal de Praga, explica essa contradição com um ensinamento muito importante.

O Maharal nos diz que, quando eles estavam sendo enviados, eles tinham um estado e consciência espirituais perfeitos. Mas uma vez que eles foram enviados, eles não eram apenas mensageiros de Moisés e do Criador, mas também mensageiros do povo. E, eles escolhendo ou não, uma vez que se tornaram mensageiros para o povo,  foram influenciados pelo povo. Quer eles soubessem ou não, sua consciência começou a se deteriorar no momento em que eles perceberam que eram mensageiros para o povo.

Os espiões tinham uma questionamento em suas mentes. Qual foi sua motivação? Por que eles estavam fazendo o que estavam fazendo, por que eles estavam indo para a terra de Israel? Eles estavam indo porque o Criador os estava enviando, eles estavam indo porque Moisés os estava enviando ou eles estavam indo porque os israelitas os estavam enviando? Alguns perguntariam que diferença faz de quem os está enviando, se for a coisa certa a fazer, mas o Maharal diz que a motivação dos espiões é tudo.

Embora os espiões soubessem que estavam sendo enviados por Moisés e o Criador, eles também tinham em sua consciência que estavam sendo enviados pelos israelitas; portanto, o desejo deles não era apenas fazer o que o Criador e Moisés queriam que eles fizessem neste processo, mas também incluía o pensamento de que todos os seus amigos, vizinhos e familiares que queriam que eles fossem, voltassem e dissessem o que estava acontecendo lá. Os espiões adicionaram o que todos queriam em sua motivação e, portanto, imediatamente começaram a se deteriorar espiritualmente.

Aprendemos com isso que, gostemos ou não, decidamos aceitar ou não, levamos para dentro de nós o estado espiritual de todos que nos motivam. E nem sempre acontece necessariamente em um momento; neste caso, demorou 40 dias para que ocorresse a deterioração completa. Mas, uma vez que os espiões aceitaram como parte de sua motivação o fato de que o restante dos israelitas também queria descobrir o que estava acontecendo naquela terra, eles se tornaram como os israelitas. Nesse ponto, os espiões não podiam mais controlar o que se tornaram. Porque nos tornamos aqueles que nos motivam.

No momento em que os espiões foram nomeados, quando Moisés veio dizer-lhes que tinha uma tarefa importante para eles cumprirem, eles eram perfeitos, porque seus remetentes - o Criador e Moisés - são perfeitos. Mas então, seus amigos começaram a dizer aos espiões que eles estavam felizes com a partida, porque também queriam descobrir. Então, a motivação dos espiões também passou a ser apaziguar e satisfazer o desejo de todos os outros. Como tal, eles assumiram a consciência de todos os outros.

Então, diz o Maharal, os espiões tornaram-se negativos. Porque, para todos nós, se somos motivados por uma pessoa negativa ou imperfeita, então já somos imperfeitos, mesmo que fôssemos perfeitos um momento antes disso. E isso é doido, porque não conseguimos começar a compreender o estado de perfeição espiritual em que os espiões estavam. Eles eram completamente perfeitos, completamente justos, e quando Moisés diz a eles que o Criador deseja que cumpram esta tarefa, eles permanecem perfeitos e animados a fazer isso.

Mas então eles também ouvem que o restante dos israelitas quer que eles partam, e os espiões dizem que também farão isso por eles. E tendo a motivação também para cumprir o desejo dos israelitas, eles têm que se tornar negativos. Sua consciência, sua conexão, começa a se deteriorar naquele momento. É por isso que podemos dizer que a consciência dos espiões ao partir também estava em um estado negativo. Moisés os nomeou, eles são perfeitos. O Criador os nomeia, eles são perfeitos. E os israelitas querem que eles também partam, e os espiões também aceitam essa motivação, tornando-se imperfeitos e iniciando seu processo de deterioração.

Falamos sobre consciência o tempo todo, mas não acredito que qualquer um de nós realmente tenha uma avaliação do verdadeiro poder dela. Quando estamos fazendo algo, sabemos que a consciência é importante como um complemento à ação. Mas aqui, vemos algo completamente diferente. A pessoa que faz a ação pode ser perfeita. No entanto, se houver um ligeiro acréscimo no que motivou essa pessoa a fazer essa ação perfeita, isso não apenas a destrói, mas também a torna completamente negativa e traz apenas morte e destruição.

Pense nisso por um momento. O que quer que tenhamos pensado sobre o poder da consciência, espero que, a partir disso, possamos começar a mudar. Espero que, com este ensino, possamos agora chegar a um entendimento mais profundo. As ações são apenas uma ferramenta para a consciência; nunca é sobre a ação. Às vezes, porque vivemos no mundo físico, precisamos de ferramentas, precisamos de ações para nos ajudar a elevar a consciência. Mas é apenas uma questão de consciência, como vemos aqui. Essas pessoas perfeitas, escolhidas pelo Criador e Moisés, estavam fazendo uma tarefa perfeita. Mas porque havia essa pequena motivação adicionada pelo que os israelitas também desejavam, isso destruiu os espiões, a ação, e trouxe morte e destruição. Essa é uma compreensão incrível.
 


Comentários 6